Região Metropolitana de São Paulo

REGIÂO METROPOLITANA DE SÃO PAULO
Sistema Principais Mananciais Sedes Urbanas Atendidas
Cantareira Represas Jaguari, Jacareí, Atibainha, Cachoeira e Paiva Castro Barueri; Caieiras; Cajamar; Carapicuíba; Francisco Morato; Franco da Rocha; Guarulhos; Osasco; São Caetano do Sul; São Paulo
Guarapiranga Represas Guarapiranga e Billings (Taquacetuba) e Rio Capivari Cotia; Embu; Itapecerica da Serra; São Paulo; Taboão da Serra
Alto Tietê Represas Paraitinga, Ponte Nova, Jundiaí, Biritiba-Mirim e Taiaçupeba Arujá; Ferraz de Vasconcelos; Itaquaquecetuba; Guarulhos; Mauá; Mogi da Cruzes; Poá; Suzano; São Paulo
Rio Claro Rio Claro - Represa Ribeirão do Campo Mauá; Ribeirão Pires; Santo André; São Paulo
Rio Grande Represa Billings - Braço do Rio Grande Diadema; Santo André; São Bernardo do Campo
Alto Cotia Represas Pedro Beicht e Cachoeira da Graça Cotia; Embu; Embu-Guaçu; Itapecerica da Serra; Vargem Grande Paulista
Baixo Cotia Rio Cotia - Isolinas Barueri; Itapevi; Jandira
Ribeirão da Estiva Ribeirão da Estiva Rio Grande da Serra
Sistemas Isolados Mananciais Superficiais / Mistos Biritiba-Mirim; Juquitiba; Mairiporã; Pirapora do Bom Jesus; Salesópolis; Santana de Parnaíba; São Lourenço da Serra

Total Abastecimento de Água*
Municípios da RM 39
Municípios que necessitam de investimentos 36
R$ milhões 4.074
* Os investimentos referem-se ao sistema de produção de água

A Região Metropolitana de São Paulo – RMSP é o maior e mais populoso aglomerado urbano do País e um dos cinco maiores do Mundo, abrange 39 municípios, concentrando quase 20 milhões de habitantes.

Dos 39 municípios, 31 pertencem ao Sistema Integrado de Abastecimento de Água, Operado pela CIA de Saneamento básico de São Paulo – SABESP.

A RMSP localiza-se nas cabeceiras da bacia do rio Tietê, uma região de baixa disponibilidade hídrica, que exige importar 32,3 m³/s de bacias hidrográficas adjacentes. Quase a totalidade das demandas atuais de abastecimento de água é atendida pelo Sistema Integrado da Sabesp (oito sistemas produtores de água), que possui capacidade nominal de 68,2 m³/s. Na avaliação desses sistemas produtores, à exceção do Ribeirão da Estiva, todos requerem ampliações ou melhorias que assegurem o abastecimento de água para a Grande São Paulo nos horizontes considerados. Nesse contexto, destacam-se as seguintes obras de caráter mais imediato: a) reforço do Sistema Alto Tietê, com aumento de 5,9 m³/s; b) aumento do bombeamento para o reservatório Biritiba (9,0 m³/s); c) fechamento do reservatório Taiaçupeba; d) aumento de 1,7 m³/s no Sistema Guarapiranga, e e) implantação de captação no rio Juquiá (Sistema São Lourenço) com aumento de 4,7 m³/s. O conjunto de melhorias previstas totaliza cerca de R$ 4 bilhões em investimentos. Em complementação a esses investimentos, registra-se a necessidade de uma série de obras no SAM - Sistema Adutor Metropolitano.
Copyright ANA - Agência Nacional de Águas, 2010